25 de jul de 2015

Folclore


Folclore
~~~~~~~~~~
Em agosto comemoramos o dia do folclore,
mas a riqueza de nossa cultura é tanta
e tão diversificada,
que temos material para todo ano!
Que tal trazer elementos do folclore nacional
para suas aulas?
Parlendas, trava-línguas, ditados populares,
contos, culinária, vestimentas, arte popular...
Clique nos links para navegar nas sugestões:


Organizado por Ivanise Meyer®

24 de jul de 2015

Dia dos Pais (sugestões dos Baús)

 
Dia dos Pais
2.º domingo de agosto
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Confira as sugestões dos Baús



Novidade!

Em breve, teremos sorteio do meu livro
Brincar & Viver
aqui no Baú de Ideias!!!

13 de jul de 2015

Portfólio Escolar

Portfólio Escolar:
o que é, como elaborar, como apresentar?
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Ivanise Meyer
1. O que é portfólio?

Definição

·       PORT  = portar / FÓLIO = folha. Resumindo: pasta onde se coloca folhas.

·       O portfólio é uma coletânea de trabalhos.

·       Portfólio é um conjunto organizado de trabalhos produzidos ao longo de determinado período (o ano letivo, por exemplo).

Portfólio de Aprendizagem

·       Utilizado na Educação como “portfólio de aprendizagem” dos alunos. Esse tipo de portfólio é elaborado pelo aluno, sob a supervisão do(a) professor(a). Serve também como instrumento de avaliação.

·       O portfólio começou a difundir-se em espaço escolar na década de 90, com ênfase nos Estados Unidos. O portfólio vem sendo evidenciado como um dos mais novos subsídios para uma avaliação dinâmica e eficiente do ensino.

Portfólio Escolar

·       O professor pode elaborar um portfólio para registrar e divulgar o trabalho realizado na sala de aula, na sala de leitura (biblioteca), ou na escola.

·       Registros encontrados em um portfólio: fotografias, projetos, produções, dinâmicas, atuações gravadas em vídeo e áudio, exposições, participação em eventos, cursos, reuniões, etc.

·       Um portfólio elaborado por um professor sobre um projeto, ou ano letivo, também serve como uma avaliação do trabalho desenvolvido.

Observação: O portfólio não é um "caderno de planos", ou seja, um caderno de planejamento. Ele é um documento do que foi realizado a partir do que foi planejado.

 

2. Passo a passo

·       Materiais a serem guardados: fotografias, produções, documentos, etc. Guardar em uma pasta (papéis e materiais que poderão ser aproveitados). Não se monta um portfólio "sem material".

·       Montagem usando o computador:

a) Abrir uma pasta no computador para salvar arquivos que serão utilizados (texto, fotos, etc);

b) Abrir um arquivo no Word e salvar como “Portfólio (ano)”. Toda vez que precisar acrescentar algum registro, vá neste arquivo e salve o trabalho. Você poderá escrever aos poucos, ou depois que estiver com todo o material selecionado.

·       Montagem sem usar o computador: é mais artesanal. Pode-se utilizar um caderno de desenho como base (já tem a espiral). Também é possível elaborar as folhas "soltas", colocar em pasta catálogo ou encadernar no final.

 

3. Sequência

·       Capa: identificação, data;

·       Apresentação (introdução) com o objetivo do portfólio;

·       Principais atividades desenvolvidas (com textos, fotos, gráficos, tabelas, e tudo que mereça ser registrado);

·       Registros fotográficos: ao longo do portfólio, com legenda nas fotos;

·       Agradecimentos ou créditos: pessoas que ajudaram de alguma forma o desenvolvimento das atividades;

·       Referências bibliográficas: material que foi consultado ou utilizado.

 

4. Formas de Apresentação

·       Pasta catálogo com envelopes plásticos (dá maior durabilidade);

·       Encadernação das folhas impressas;

·       Em CD ou DVD ou Pen Drive: o arquivo poderá ser gravado em PDF (imagem), não permitindo a modificação do mesmo durante a visualização;

·       PowerPoint (slides) e Movie Maker (vídeo/filme): são apresentações que privilegiam as imagens, devem ter pouco texto;

·       Internet: plataformas de publicação como o ISSUU (publica o arquivo em PDF  como uma revista digital).

 

Alguns modelos de portfólio de trabalho desenvolvido com minhas turmas:


 
 
 
Fui convidada pela prof.ª Inês Rocha, da Sala de Leitura Polo do GEC Mario Paulo de Britto, para conversar com as colegas sobre como elaborei meu portfólio das atividades desenvolvidas em 2014.
Elaborei um texto e PowerPoint específicos para o trabalho na Sala de Leitura.
Então, resolvi compartilhar o texto (com algumas modificações) com vocês.
 
Elaboro portfólios do meu trabalho em sala de aula desde 2002, especialmente dos projetos, mas também contando sobre os anos letivos.
Além de ser "memória" de tudo que aconteceu, fica uma bela recordação, permitindo até mesmo avaliar o trabalho desenvolvido.
 
Há um custo? Sim, é claro, se pensarmos na impressão e na compra da pasta. Mas, atualmente, pode-se utilizar de mídias como CDs, DVDs ou pen drives para gravar os portfólios. Além das plataformas de publicação, onde você só precisará da internet.
 
Espero que essa sementinha floresça em muitos portfólios espalhados por aí...
Um abraço,
Ivanise :)

 

5 de jul de 2015

Clipping: "Baús" na internet / "Brincar e Viver"


Citação do Livro: "Brincar & Viver: Projetos em Educação Infantil
Baús
Participação em Revistas / Jornais / Programas
  • Revista Guia Prático do Professor de Educação Infantil

 
Vida Profissional
 

Vídeos

 
Slides



30 de jun de 2015

Folclore (Bumba meu Boi)

Boi da cara preta
~~~~~~~~~~~~~

Na foto você vê nosso "BOI DA CARA PRETA" e o "BOI DE BRAÇO" (os pequeninos ao lado do boi), confeccionados pela turma 10 (5/6 anos) de Educação Infantil na E.M. José Alpoim em 2006.
♥♥♥

BOI DA CARA PRETA

Materiais: caixa de papelão (dessas de papel A4), caixa de sapato, tinta preta, fita metalóide, papel crepom, purpurina, cola, retalhos de cartolina (chifres, olhos, língua, narinas).

Como fazer: Colar a caixa de sapato na caixa maior (fazer um corte para encaixar). Pintar tudo de preto. Montar a cara do boi (olhos, chifres, narinas e a língua). As crianças colaram pedacinhos de metalóide, depois fizeram um pinguinhos de cola com gliter nos espaços entre as fitas. Colei tiras de papel crepom por dentro. Dançamos muito com ele, segurando por baixo, ouvindo a música do boi do CD da Bia Bedran (Fazer um bem).


♥♥♥

BOI DE BRAÇO

Materiais: cartolina preta para a cabeça, papel branco para o detalhe dos chifres, olhos de cartolina, papel glacê (língua), cartolina tamanho A4, tintas nanquim, cotonetes, fita metalóide fininha, papel crepom amarelo, cola com gliter, cola, cola quente (uso da professora).
Como fazer: Esse boi foi pintado em 3 dias: a) Desenho com nanquim preto. b) Pintura com nanquim colorido. c) Decoração com cola com gliter. A cabeça foi montada pelas crianças, colaram paetês para enfeitar. Colar os babadinhos fechando o corpo (veja na foto), colar o corpo na cabeça (a cola quente é mais rápido). No outro lado, colar um rabinho. Nos chifres colei com durex (por trás) 2 pedacinhos de fita metalóide (ficou parecido com o Boi da cara preta).
Depois é só enfiar no braço e brincar!!!! Ê, boi!!!

♥♥♥

Republicação - 2015

Maranhão, meu tesouro, meu torrão - Humberto Maracanã
 
 
 
Organizado por Ivanise Meyer®

Clipping: Cotidiano / De tudo um pouco...

Aqui reunirei aqueles textos interessantes que leio por aí.
Alguns com utilidade imediata, outros só para refletir, ou distrair o coração. 

27 de jun de 2015

Clipping: Educação Infantil (documentos e publicações)

 
 
Documentação Oficial
 
 


22 de jun de 2015

"O que uma criança deve saber aos 4 anos de idade?"


 
O que uma criança deve saber aos 4 anos de idade? Essa foi a pergunta feita por uma mãe, em um fórum de discussão sobre educação de filhos, preocupada em saber se seu filho sabia o suficiente para a sua idade.

Segundo Alicia Bayer, no artigo publicado no portal de notícias americano – The Huffington Post –, o que não só a entristeceu, mas também a irritou, foram as respostas, pois ao invés de ajudarem a diminuir a angústia dessa mãe, outras mães indicavam o que seus filhos faziam, numa clara expressão de competição para ver quem tinha o filho que sabia mais coisas com 4 anos. Só algumas poucas indicavam que cada criança possuía um ritmo próprio e que não precisava se preocupar.

Para contrapor às listas indicadas pelas mães (em que constavam itens como: saber o nome dos planetas, escrever o nome e sobrenome, saber contar até 100), Bayer ofereceu uma lista do que deve saber uma criança de quatro anos:

– Deve saber que a querem por completo, incondicionalmente e em todos os momentos.

– Deve saber que está segura e deve saber como manter-se a salvo em lugares públicos, com outras pessoas e em distintas situações.

– Deve saber seus direitos e que sua família sempre a apoiará.

– Deve saber rir, fazer-se de boba, ser vilão e utilizar sua imaginação.

– Deve saber que nunca acontecerá nada se pintar o céu de laranja ou desenhar gatos com seis patas.

– Deve saber que o mundo é mágico e ela também.

– Deve saber que é fantástica, inteligente, criativa, sentimental e maravilhosa.

– Deve saber que passar o dia ao ar livre fazendo colares de flores, bolos de barro e casinhas de contos de fadas é tão importante como praticar fonética. Melhor dizendo, muito mais importante.

 


Mas o mais importante é o que os pais devem saber :

– Que cada criança aprende a andar, falar, ler e fazer cálculos a seu próprio ritmo, e que isso não tem qualquer influência na forma como irá andar, falar, ler ou fazer cálculos posteriormente.

– Que o fator de maior impacto no bom desempenho escolar e boas notas no futuro é que se leia às crianças desde pequenas. Sem tecnologias modernas, nem creches elegantes, nem jogos e computadores chamativos, se não que a mãe ou o pai dediquem um tempo a cada dia ou a cada noite (ou ambos) para sentar-se e ler com ela bons livros.

– Que ser a criança mais inteligente ou a mais estudiosa da turma nunca significou ser a mais feliz. Estamos tão obstinados em garantir a nossos filhos todas as “oportunidades” que o que estamos dando são vidas com múltiplas atividades e cheias de tensão como as nossas. Uma das melhores coisas que podemos oferecer a nossos filhos é uma infância simples e despreocupada.

– Que nossas crianças merecem viver rodeadas de livros, natureza, materiais artísticos e a liberdade para explorá-los. A maioria de nós poderia se desfazer de 90% dos brinquedos de nossos filhos e eles nem sentiriam falta.

– Que nossos filhos necessitam nos ter mais. Vivemos em uma época em que as revistas para pais recomendam que tratemos de dedicar 10 minutos diários a cada filho e prever um sábado ao mês dedicado à família. Que horror! Nossos filhos necessitam do Nintendo, dos computadores, das atividades extraescolares, das aulas de balé, do grupo para jogar futebol muito menos do que necessitam de nós. Necessitam de pais que se sentem para escutar seus relatos do que fizeram durante o dia, de mães que se sentem e façam trabalhos manuais com eles. Necessitam que passeiem com eles nas noites de primavera sem se importar que se ande a 150 metros por hora. Têm direito a ajudar-nos a fazer o jantar mesmo que tardemos o dobro de tempo e tenhamos o dobro de trabalho. Têm o direito de saber que para nós são uma prioridade e que nos encanta verdadeiramente estar com eles.

Então, o que precisa mesmo – de verdade – uma criança de 4 anos?

Muito menos do que pensamos e muito mais!

21 de jun de 2015

Hipóteses de Escrita - Psicogênese da Língua Escrita

Hipóteses de Escrita
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
 
 
 
Capturei essas duas imagens que sintetizam as hipóteses de escrita segundo a Psicogênese da Língua Escrita proposta por Emília Ferreiro. Não tenho as fontes, caso alguém saiba, por favor deixe aqui nos comentários para que eu coloque os créditos.
 
Organizado por Ivanise Meyer®


Clipping: Saúde & Nutrição

 

SAÚDE INFANTIL
 
  • PASTA DE DENTES: "O uso de pasta de dentes fluoretada por crianças em idade pré-escolar é uma medida importante para o controle da cárie dentária. Apenas pastas de dentes contendo pelo menos 1000 ppm de flúor têm efeito anticárie. As crianças podem se beneficiar do efeito anticárie das pastas de dentes com flúor sem aumentar o risco de desenvolver fluorose. A escovação deve ser supervisionada por um adulto e a quantidade de pasta colocada na escova deve ser pequena e adequada para a idade da criança. Após a escovação, a criança deve bochechar e cuspir. A pasta de dentes deve ser guardada fora do alcance das crianças." Vídeo: Crescer Sorrindo
  •  
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...